sexta-feira, 27 de julho de 2012

O MEU PESSEGUEIRO CARECA!!! COM A MINHA POESIA !!!



NÃO RESISTI A MOSTRA-VOS O MEU PESSEGUEIRO CARECA, TEM TANTO PÊSSEGO QUE  SENDO FRÁGIL POR SER NOVO, ESTAVA A LASCAR TODO COM O PESO, ESTA TODO ATADO E AJUDADO COM SUPORTES E ATILHOS PARA SE AGUENTAR E CRIAR OS FRUTOS!!! 



PÊSSEGOS E PESSEGUEIROS

Pessegueiro é arvore pequena,
Todos os anos transformada,
Nascem as flores, é um encanto,
Olhando a certa distancia
Parecem de seda bordada.

Caem as flores, desponta o fruto,
Que vai crescendo, e ganha cor,
São brancos ou amarelos
Ou por vezes bem rosados,
Cresce o tamanho, e o sabor.

São uma fruta suculenta
Que apetece sempre comer
É cheirosa, sumarenta,
E depois de bem lavada
Está pronta, é só escolher.

POEMA E FOTO LÍDIA FRADE



quarta-feira, 18 de julho de 2012

AS FOTOS DAS MINHA HORTINHA, DO QUINTAL DA CASINHA DO RIBATEJO!!!

UM DOS MEUS PESSEGUEIROS QUE JÁ ESTÃO MAIS CRESCIDOS, CORADOS, MAS AINDA VERDES PARA COMER!!!
SÃO AMARELINHOS POR DENTRO, E MUITO BONS QUANDO MADUROS!!!

ESTES SÃO OS CARECAS, UMA ESPÉCIE MUITO SABOROSA, ESTÃO AINDA VERDISSIMOS,  MAS JÁ A FAZEREM TAL PESO NA ÁRVORE QUE, TIVEMOS DE COLOCAR UM SUPORTE, PARA LEVANTAR OS RAMOS COMPLETAMENTE CURVADOS PELO PESO, COM RISCO DE PARTIR!!! 

UMA PLANTAÇÃO DE ELEIOS, EM CRESCIMENTO MAS MUITO FLORIDOS!!!

OS MEUS GIRASSÓIS LINDAMENTE FLORIDOS, A QUE OS PÁSSAROS VÃO DANDO APROVEITAMENTO, POSSIVELMENTE ENQUANTO OS TOMATES NÃO ESTÃO DIVINAMENTE MADUROS!!! 

O MEU QUINTAL É UMA GRANDE MISTURA DE JARDIM HORTICULA, ONDE TENHO DE TUDO, E ONDE TUDO SE MISTURA!!!

AQUI UMA COUVE DO LADO ESQUERDO, MUITO PARTICULAR, ESTÁ A CRESCER EM DESAFIO COM O PESSEGUEIRO, DO LADO CONTRÁRIO, FICOU CORTADA NA FOTO, MAS SÓ AGORA ME DESPERTOU A ATENÇÃO QUE, PODERIA TER FEITO OUTRA FOTO MOSTRANDO TODA A ALTURA, PROMETO NA PRÓXIMA SEMANA, TRAZER O RESTO DA FOTO PARA COLOCAR TODA A ALTURA, E PODER MOSTRAR ASSIM, A MINHA SUPER COUVE!!!


A SUPER COUVE CRESCE AO DESAFIO COM A PAREDE, E TUDO O MAIS QUE A RODEIA!!!

TAL COMO ESTA DÁLIA QUE OLHA O DECADENTE GIRASSOL JÁ CURVADO, LÁ DO CIMO DA SUA ALTURA E BELEZA!!!

FOTOS E TEXTO LÍDIA FRADE



segunda-feira, 9 de julho de 2012

A VACINA DO LUÍS




A VACINA

Era Março, quase a chegar a Pascoa que nesse ano era muito cedo, já que se vinha de um carnaval muito precoce ou seja quase no início de Fevereiro, e sendo assim a Pascoa seria quarenta dias depois.

Margarida tinha sido mãe do seu terceiro filho o Romeu, havia poucos dias, Luís o mais velho, já tinha dez anos, pelo meio tinha nascido uma menina a Constança, que, tinha feito dois aninhos precisamente um mês atrás.

Margarida tinha de levar o Romeu ao Posto Medico para fazer a sua primeira vacina, sendo assim verificou o livro de saúde dos mais velhos para se certificar de que estariam em ordem, detectou no entanto que, também não estavam completas, e resolveu levar os três, para fazerem as actualizações necessárias.

Primeiro foi o recém-nascido o Romeu, como não tinha ainda consciência do que era levar uma vacina, não fazia ainda reclamações, e assim foi colocado meio envolto nos seus agasalhos, ageitadinho para levar a pica, sem grande manifestação.

Seguidamente seria Luís, seria!... E queria a mãe que ele levasse a vacina que lhe faltava, mas o Luís era uma criança um pouco difícil de se convencer, para não dizer muito, e ele com dez anos já sabia que a pica doía um pouco, mas ali estava mais patente a teimosia do que o medo, pois já tinha saído de casa a reclamar, e contrariado, porque não queria levar vacina.

Bom mas chegada a hora, a mãe obrigou-o a entrar no gabinete, agarrou-o, a enfermeira preparou a vacina, mas quando ia para espetar a dita agulhita, ele atirou-se ao chão, esperneou, pontapeou, berrou, foi o rececionista ajudar, fingiu-se desmaiado, a enfermeira pensou que o caso era a serio foi chamar o médico.

Foi ai que ele viu que a coisa estava séria, não conseguia enganar o médico, pensou e agiu, quando resolver levantar-se e sair do gabinete, mostrando-se ainda vencedor, por ter enganado todos,  sem no entanto ter levado a vacina.

Com estas cenas todas, a mãe ficou envergonhada, pediu desculpas e desistiu, era isso que ele esperava que a mãe fizesse, desistisse pela saturação e aconteceu, mas com a sentença, de que viria o pai com ele.
Margarida regressou a casa com os filhos, contou ao marido, o que Luís tinha feito, e a vergonha que a tinha feito passar, o pai pega no carro fez-se acompanhar de novo por ele e voltam ao Centro Medico.

Claro que ainda tentou fazer birrinha e envergonhar o pai, que rapidamente resolveu o assunto, Luís levou mesmo a vacina, e mais, o pai fê-lo pedir desculpas às pessoas por se ter portado mal, e tentar engana-los a todos, então não lhe tendo o pai deixado outra opção, ele pediu desculpas.

Margarida logo que falou com a mãe, contou-lhe o que Luís tinha feito, ainda estava envergonhada.
A avó de Luís, depois de ter falado com a filha, e ter ficado admirada da sua ousadia teatralizada, de repente lembrou-se.

De uma das últimas vezes que lá tinha estado em casa, tinha falado com Luís sobre as suas atividades de tempos livres, ou após escolares, onde tinham escrito uma peça teatral á sua escolha, em trabalhos de grupos, da qual ele tinha feito parte com mais dois ou três colegas, essa peça teria de ser representada por eles, o grupo que escreveu, e depois seria avaliada pelas professoras.

A peça que eles escreveram era sobre, um médico dentista, um paciente, e assistentes, ali mesmo em frente da avó, sentada com eles na sala, ele tinha representado dentro do possível, pois sozinho tinha de explicar, ou fazer parte das falas dos colegas, mas, a avó lembrava bem, o papel dele na peça, era o paciente.

Assim sendo, ele paciente, tinha medo das agulhas, e de todos os outros utensílios do médico dentista, com os outros assistentes a segura-lo, conseguiu escapar-se da cadeira, escorregou para o chão, os outros tentavam agarra-lo, ele debatia-se, gritava, rebolava-se no chão, criando uma cena de recusa e cansaço até á desistência.

Assim dito por ele, Luís, ganharam o primeiro lugar na representação desse trabalho de grupo, graças á representação dele.

Ai estava e explicação, os pais não sabiam, mas ele tinha representado, ali no Posto Medico, a sua personagem, a sua peça teatral, para ver como funcionava ao natural de verdade, mas, apesar da sua belíssima representação, onde até conseguiu simular um desmaio, só conseguiu deixar os pais envergonhados, e teve de lavar mesmo, a sua vacina!!!

Lídia Frade

segunda-feira, 2 de julho de 2012

ARTESANATO PINTURA E COLAGEM TELHA DE BARRO,

MAIS DUAS PEÇAS DE PINTURA EM TELHAS DE BARRO QUE VOU FAZENDO NOS MEUS POUCOS TEMPOS LIVRES, ESTAS TAMBÉM PARA OFERECER A ALGUÉM MUITO QUERIDO, MINHA FILHA, PORQUE NA SUA VIDA, SERÁ ACOMPANHADA POR ESTAS IMAGENS!!!


PINTURA EM ACRÍLICO, LÍDIA FRADE
REPRODUÇÃO DE IMAGENS DE UMA ILHA DOURADA
PORTO SANTO
UMA DAS FOTOS DESTE POR DE SOL
LÍDIA FRADE

PINTURA EM ACRÍLICO LÍDIA FRADE 

 PORQUE NO RIBATEJO E UMA CASA RIBATEJANA, MERECE SEMPRE UMA IMAGEM DOS CAVALOS, QUE OS MEUS NETOS TAMBÉM IRAM GOSTAR!!!
ACOMPANHADO DOS TONS DE UM POR DO SOL LINDÍSSIMO, QUE UM DIA FOTOGRAFEI, NUM CÉU LINDO SOBRE A CASA QUE O IRÁ GUARDAR!!!

LÍDIA FRADE