quinta-feira, 6 de junho de 2013

O MEU ORGULHO NUM QUINTAL RIBATEJANO

AS MINHAS ROSINHAS DE SANTA TERESINHA JÁ QUASE CONSEGUEM TAPAR A CAMPÂNULA DO MEU POÇO DO QUINTAL, PARA O ANO QUE VEM JÁ VOS PODEREI MOSTRAR A BASE DOS TUBOS TODA TAPADA DE FOLHAGENS E ROSINHAS.
ALGUMAS JÁ SUPERARAM A ALTURA DA ESTRUTURA, AINDA NÃO ABRIRAM AS ROSAS.


ADORO ESTE ESPAÇO QUE PROCURO FAZER BRILHAR A MEU GOSTO,




A MINHA PIMENTEIRA COM O INVERNO RIGOROSO SOFREU MUITÍSSIMO.
UM DIA QUANDO LÁ CHEGUEI, ESTAVA DEITADA DE LADO RENTE AO CHÃO, COM O VENTO NORTE QUE ENTRA EM LINHA NO MEU QUINTAL, FICOU QUASE SEM FOLHAS, E AS QUE FICARAM ESTAVAM NEGRAS PARTIDAS.
AGORA JÁ RECUPERADA, COM LINDA RAMAGEM NOVA.




CORES DE EMOÇÃO

Pode ser nas telas
Com todo o colorido imaginário
Que ao vê-los!
Em múltiplos cenários
Se transformam
Em espelhos reflectários.

Nas palavras escritas
Ou oradas
Que nos dão a cor, em espaço,
Em cenas acabadas,
Que são força, e emoção,
Até em quadros,
Bucolicamente parados.

A cor, está profundamente
Em nós,
Que vai saindo
Moldando, modelando,
A harmonia dos nossos passos
Vai colorindo,
A doçura na nossa voz,
Ou numa áurea resplandecente,
Ou não?

Ao escrever este poema

LÍDIA FRADE




















O MEU LAGUINHO AINDA NÃO TEM PEIXINHOS TEM AS FLORES DA OLIVEIRA.,
A MINHA SUPOSTA PISCINA, NÃO ESTÁ AINDA PRONTA, FALTA A PINTURA, MAS APESAR DISSO JÁ FAZ UM LINDO ESPELHO DE ÁGUA PARA A FOTOGRAFIA.



ESTAS FLORES NÃO SEI COMO SE CHAMAM, ERAM AINDA DA MINHA MÃE, COMO RESISTEM A TUDO, ATÉ ÁS TRANSFORMAÇÕES E OBRAS, CONSERVEI-AS E ESTÃO FLORIDAS E BONITAS.





















ALGUMAS DAS MINHAS ROSAS VERMELHAS.
E ACABO AQUI COM O MEU ROSEIRAL AMARELO QUE ESTÃO IGUALMENTE LINDAS.

FOTOS E POEMA DE LÍDIA FRADE

6 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Belissimo demais amiga, adorei as fotos, também tenho rosas Stª teresinha, mas vermelhas, outras mantizadas e umas pequeninas brancas.
Amei o teu quintal, o teu poema.
fico sem palavras perante tal beleza.

beijinho e uma flor

Lídia disse...

Agradeço de todo o coração querida Adélia,as tuas palavras generosas é que me envaidecem.

Uns miminhos que mereço com alguma vaidade reconheço, pois o dia de amanhã ninguém o sabe mas, o meu de hoje é investir naquele pedacinho, que já veio dos meus antepassados, o que estou a fazer hoje, desfrutarei o que puder, ficará para os meus descendentes que sei, hoje se orgulharem do que estou a fazer.
1 beijinho Lídia

Franciete Filipe disse...

Bom dia minha linda amiga, hoje resolvi vir por este lado só para dizer que se eu tivesse um quintal deste também tinha o meu orgulho.
Não são todos que tem a felicidade de ver cada plantinha crescer e tratar dela com muito carinho.
Beijinhos de luz e muita paz.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Lidia!

Bonito quintal - com amor cuidado - que mais o seria se a "natureza madrasta" deste ano tivesse ajudado.
Como bonito é o poema, usando a cor como representação de sentimentos.Os dois associados, fazem um lindo conjunto.

Um abraço,e bom fim de semana.
Vitor

Lídia disse...

FRANCIETE

MINHA QUERIDA NA VERDADE TENHO A SORTE DE TER UM QUINTAL, DE SER DA FAMÍLIA JÁ DE VÁRIAS GERAÇÕES, E DE PODER APESAR DE TRABALHAR ONZE HORAS POR DIA DENTRO DE UM CENTRO COMERCIAL, PODER CUIDAR DE TUDO COM SAÚDE, APENAS UM DIA POR SEMANA, E TER DE PAGAR TUDO O RESTO.

DEIXO UM BEIJINHO ATÉ SEMPRE

LÍDIA

Lídia disse...

AGRADEÇO VITOR

PELA SUA PASSAGEM ASSIM COMO SEU COMENTÁRIO SEMPRE BEM ATENTO.

ATÉ SEMPRE LÍDIA