sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

COIMBRA JARDIM BOTÂNICO*****ASSIM........... TEM COIMBRA OS SEUS ENCANTOS!!!

O NOSSO PASSEIO PELO JARDIM BOTÂNICO NAS NOSSAS MINI FÉRIAS!!!

Fundado em 1772 pelo Marquês de Pombal, o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra é um dos jardins mais aprazíveis da cidade.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jardim Botânico da Universidade de Coimbra
LocalizaçãoSé NovaCoimbra
País Portugal
TipoJardim botânico
Áreac. 135 000 
AdministraçãoFaculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

"Jardim Botânico da Universidade de Coimbra"
Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, é um jardim botânico com 13,5 hectares de área, situado emCoimbra,Portugal. É membro da Associação Ibero-Macaronésica de Jardins Botânicos e da BGCI (Botanical Gardens Conservation International), e apresenta programas de conservação para a International Agenda for Botanic Gardens in Conservation. O seu código de identificação internacional é COI






História[editar | editar código-fonte]

Houve uma primeira tentativa em 1731, de estabelecer um jardim botânico em Coimbra, com um projecto elaborado porJacob de Castro Sarmento, tendo como referência o Chelsea Physic Garden, de Londres.

No entanto, apenas em 1772, fundado como parte integrante do "Museu de História Natural" instituído pelo Marquês de Pombal, surge o "Jardim Botânico da Universidade de Coimbra", como consequência da reforma pombalina dos estudos universitários. O projecto de Castro Sarmento foi considerado pelos professores muito modesto pelo que decidiram ampliá-lo para cumprir os requisitos do Marquês de Pombal. Os trabalhos iniciaram-se em 1774.

Ao princípio, as responsabilidades recaíram sobre Domingos Vandelli, e a partir de 1791, a Avelar Brotero, professor de Botânica e Agricultura. Este ilustre botânico ampliou o jardim, com a aquisição de um terreno da quinta dos Padres Marianos (1809).





Em 1873 é nomeado gerente Júlio Henriques. Intensifica a troca de plantas com os principais jardins de Portugal Continental, Açores, Europa e outras partes do mundo, sobretudo da Austrália. Refere-se que Júlio Henriques conseguiu do Jardim Botânico de Buitenzorg, em Java, sementes da espécie Cinchona, de cuja cortiça se extrai aquinina, para combater a malária que nessa época, em Portugal e nos territórios ultramarinos, dizimava a população. Foi sua a iniciativa de fundar a "Sociedade Broteriana", destinada a reunir os botânicos, e outros especialistas interessados também em botânica. Em 1880 iniciou-se a publicação do "Boletim da Sociedade Broteriana", revista de carácter científico que actualmente continua a publicar-se. Foi Júlio Henriques o primeiro que se referiu em Portugal aos trabalhos de Charles Darwin, sendo o primeiro darwinista a manifestar as suas opiniões entre os biólogos portugueses.

O botânico Luís Wittnich Carrisso, desde o ano em que passou a professor catedrático, de 1918 até à data da sua morte em 1937, ao assumir a direcção deste jardim, enriqueceu-o muito com novas plantas, nomeadamente com plantas exóticas africanas, a maioria originárias de Angola1 .






O botânico Luís Wittnich Carrisso, desde o ano em que passou a professor catedrático, de 1918 até à data da sua morte em 1937, ao assumir a direcção deste jardim, enriqueceu-o muito com novas plantas, nomeadamente com plantas exóticas africanas, a maioria originárias de Angola1 .

Desde Setembro de 1997 a direcção do parque organiza um programa de visitas livres e guiadas.



Colecções[editar | editar código-fonte]



Entre as colecções das suas plantas destacam-se :
Plantas tropicais
Colecção de narcisos
Ornithogalum
Plantas suculentas
Colecção de coníferas
Colecção sistemática
Plantas ornamentais
Myrtaceae
Leguminosae
Aceraceae
Rosaceae





Equipamentos[editar | editar código-fonte]

O jardim possui uma biblioteca com mais de 125 000 volumes. O Departamento de Botânica colabora com a "Sociedade Broteriana" na edição de revistas científicas que facultam uma permuta de publicações com cerca de 700 bibliotecas similares.

O herbário compreende cerca de 1 milhão de espécies originárias de todo o mundo. Aqui também se encontra o "Herbário de Willkomm", onde se podem estudar outros materiais de interesse botânico, normalmente os procedentes de explorações universitárias na África Tropical. Todo este material, juntamente com as sementes de mais de 2,000 espécies (Index Seminum), é objecto de permuta com outras Instituições congéneres nacionais e estrangeiras.




Equipamentos[editar | editar código-fonte]

O jardim possui uma biblioteca com mais de 125 000 volumes. O Departamento de Botânica colabora com a "Sociedade Broteriana" na edição de revistas científicas que facultam uma permuta de publicações com cerca de 700 bibliotecas similares.

O herbário compreende cerca de 1 milhão de espécies originárias de todo o mundo. Aqui também se encontra o "Herbário de Willkomm", onde se podem estudar outros materiais de interesse botânico, normalmente os procedentes de explorações universitárias na África Tropical. Todo este material, juntamente com as sementes de mais de 2,000 espécies (Index Seminum), é objecto de permuta com outras Instituições congéneres nacionais e estrangeiras.










O Museu Botânico ("Secção de Botânica do Museu de Historia Natural" -— MHN — recriado em 1991 com a aprovação do regulamento da FCTUC contém uma magnífica galeria que representa um espaço privilegiado para a realização de exposições científico-culturais. Nele há uma exposição permanente, modelos didácticos, colecções carpológicas e de fósseis vegetais, madeiras exóticas, objectos de artesanato, material diverso procedente das missões botânicas na África Tropical, e também, muita documentação de carácter histórico-natural.

Os laboratórios, proporcionam condições razoáveis para actividades de ensino e de investigação científica nos vários domínios da Botânica como, Ecologia, Fisiologia, Citogenética, Taxonomia, Bioquímica e Biotecnologia Vegetal, Fisiologia e Microscopia Electrónica.


























ALGUMAS DAS LINDAS IMAGENS JÁ FORA DE PORTAS DO JARDIM BOTÂNICO!!!




FOTOS DE LÍDIA FRADE

PELOS CAMINHOS DE PORTUGAL

6 comentários:

Mona Lisa disse...

Conheço o jardim.

Estudei em Coimbra e quando vim de Luanda os meus pais mudaram-se para Coimbra.

Cheguei a fotografar o jardim, mas não tão pormenorizado.

Adorei recordá-lo através da tua fantástica reportagem fotográfica.

Beijinhos.

Flor de Jasmim disse...

Querida uma excelente reportagem de um jardim que nunca cheguei a ver na totalidade.

Bom fim de semana amiga.

Beijinho

Lídia disse...

OBRIGADO ELISA
FICO FELIZ POR PODER MOSTRAR ALGO MAIS QUE O CONHECIMENTO DO PASSADO!!!

OBRIGADO PELO ELOGIO DAS FOTOS.

1 BEIJINHO LÍDIA

Lídia disse...

ADÉLIA É UM GRANDE PRAZER PODER MOSTRAR ALGO QUE NÃO CONHEÇAS DEVIDAMENTE, E NO GERAL QUE TENHA INTERESSE MAIS ALARGADO, QUERO QUE OS MEUS BLOGS SEJAM ALGO PREENCHIDOS DE COISAS VIVAS EXISTENTES E INTERESSANTES!!!

1 BEIJINHO LÍDIA

Miguel disse...

Boa noite, Lídia
Muito obrigado pela tua intromissão sem convite :)))
Gostei muito que fosses intrometida, já que me deu oportunidade de conhecer este lindíssimo espaço.
Conheço Coimbra assim como o Jardim Botânico, mas esta tua visita guiada é espectacular!
Obrigado por me ajudares a recordar lugares tão lindos!

Continuação de boa semana.
Um beijo
Miguel

Lídia disse...

OLÁ MIGUEL BOA TARDE DESEJOS DE BOM FIM DE SEMANA.

AGRADEÇO OS ELOGIOS E ADORO IR POR AI SEMPRE QUE POSSO E MOSTRAR AS BELEZAS QUE PORTUGAL TEM E EU ADORO REGISTAR OS MEUS PASSEIOS, E OS LOCAIS QUE VISITO POR PRAZER!!!

DESEJOS DE BOAS FESTAS

1 BEIJO LÍDIA